Vozes de mulheres negras de Parelheiros: Internet, interseccionalidade

Autores

  • Ana Gabriela Godinho Lima Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Angélica Aparecida Tanus Benatti Alvim Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Jaqueline de Araujo Rodolfo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Palavras-chave:

Sul Global, Mulheres Negras, Parelheiros, Interseccionalidade, Internet

Resumo

Este trabalho analisa os discursos das mulheres negras de Parelheiros — um dos distritos mais pobres e violentos da cidade de São Paulo — veiculados em sítios eletrônicos. Foi adotada a seguinte metodologia: levantamento dos sítios eletrônicos que abordam pautas raciais, periféricas, de gênero e os problemas vividos por mulheres em Parelheiros; construção do quadro teórico para a análise a partir de quatro eixos: o feminismo interseccional, as vozes negras na Internet, o contexto de Parelheiros e o posicionamento da discussão no âmbito das epistemologias do Sul Global. Como resultado, verifica-se que a circulação de diferentes formas de expressão escrita por meio da Internet transformou-se em ferramenta de superação do chamado "silenciamento das periferias", possibilitando a formação de redes de solidariedade, organização de eventos, desenvolvimento de projetos de formação e capacitação. Constatou-se, ainda, que, em conjunto, as vozes de mulheres negras veiculadas pela Internet expressam necessidades e aspirações pessoais e coletivas, que de outra forma seriam dificilmente visíveis. Os relatos de como os espaços urbanos ensejam e convidam — ou dificultam e impedem — as oportunidades dessas mulheres, caracterizam em boa medida os modos como as desigualdades sociais, econômicas, raciais e de gênero são experienciadas e trabalhadas por esses grupos e suas comunidades.

Biografia do Autor

Ana Gabriela Godinho Lima, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie

É arquiteta e urbanista, Doutora em História da Educação e Filosofia do Conhecimento com Pós-doutorado em Artes. É Professora Adjunta do Programa de Pós-Graduacão da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, onde é co-responsável pelo Projeto de Pesquisa "Cidade, Gênero e Infância". É autora do livro "Arquitetas e arquiteturas na América Latina do século XX" (Altamira Editorial, 2013). Estuda Arquitetura Escolar, Ensino de Arquitetura e Urbanismo, História das Mulheres na Arquitetura, História da Arquitetura na América Latina, História e Teoria da Arquitetura Contemporânea, Processos de Projeto em Arquitetura e Urbanismo e Design.

Angélica Aparecida Tanus Benatti Alvim, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie

É arquiteta e urbanista, Doutora em Arquitetura e Urbanismo e Professora Titular da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie e do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da mesma instituição. É líder do grupo de pesquisa Urbanismo Contemporâneo: redes, sistemas e processos, onde realiza pesquisas sobre projeto urbano, mobilidade e meio ambiente.

Jaqueline de Araujo Rodolfo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie

É arquiteta e urbanista, Mestre em Arquitetura e Urbanismo e pesquisadora do grupo de pesquisa Urbanismo Contemporâneo: redes, sistemas e processos, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Estuda intervenções urbanas, programas de urbanização, assentamentos precários, dimensões da sustentabilidade, meio ambiente e mananciais da Região Metropolitana de São Paulo.

Publicado

2021-12-21