Design Ecossistêmico: uma abordagem para descolonizar subjetividades

Autores

  • Coral Michelin Basso Universidade Anhembi-Morumbi
  • Caio Adorno Vassão Istituto Europeo di Design - São Paulo
  • Priscila Almeida Cunha Arantes Universidade Anhembi-Morumbi

Palavras-chave:

Design Ecossistêmico, Subjetividade, Descolonização

Resumo

A partir do entendimento daquilo que nos constitui como sujeitos — a subjetividade —, o ensaio crítico apresenta um breve panorama da subjetividade euro-antropocêntrica, dada como uma origem da crise planetária vivida atualmente. Contrapõe ao pensamento hegemônico colonizador características das subjetividades indo-americanas, como forma de estimular processos de descolonização da nossa dupla consciência colonizada-colonizadora. Esse feito, de cunho teórico, usou como metodologia de pesquisa a revisão bibliográfica em campos transversais ao design. Nosso objetivo está em explorar referências do Sul, sobretudo dos povos originários do Brasil, de modo a: 1) propor uma subjetividade renovada a partir da descolonização; para então 2) contribuir na formulação de uma prática projetual decolonial. O estudo é usado na elaboração do Design Ecossistêmico, abordagem teórico-prática para projetos regenerativos, sistêmicos e voltados para a criação de futuros plurais. Ao fim, são apresentados dois caminhos formulados para um design decolonial, o da regeneração e o dos futuros plurais.

Biografia do Autor

Coral Michelin Basso, Universidade Anhembi-Morumbi

É graduada em Gestão Ambiental e Mestre em Design. É professora no Istituto Europeo di Design - São Paulo e pesquisadora doutoral no Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Anhembi-Morumbi. Estuda o Pensamento Sistêmico e Complexidade, Design e futuros regenerativos, Ecologia e ecossistemas, Design Ecossistêmico, Descolonização e Feminismo Decolonial.

Caio Adorno Vassão, Istituto Europeo di Design - São Paulo

É arquiteto e urbanista, Doutor em Design e Arquitetura, professor no Istituto Europeo di Design - São Paulo e pesquisador associado ao grupo Representações Imaginário e Tecnologia (RITe), vinculado à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase nos seguintes temas: Teoria do Projeto, Metadesign, Complexidade, Ecologia Ecossistêmica, Urbanismo, Cidades Inteligentes, Cidade Distribuída, Processos Colaborativos, Teoria da Arte, Epistemologia.

Priscila Almeida Cunha Arantes, Universidade Anhembi-Morumbi

É filósofa, Doutora em Comunicação e Semiótica e Professora Titular do Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Anhembi Morumbi. Coordena e leciona o curso Arte: História, Crítica e Curadoria da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, e desenvolve pesquisa em colaboração com o Museu de Arte Contemporanea da Universidade de São Paulo. É autora de diversos livros sobre arte e técnica.

Publicado

2021-12-21